Arquivo da tag: atriz

Nota

Elvira3

Cassandra Peterson publicou em seu perfil do twitter que visitará o Brasil em Novembro deste ano. Uma especulação dessa vsita seria o fato de que a Comic Con Brasil 14 acontecerá no mesmo mês, mas ainda não está confirmado se esse é o real motivo da vinda da Rainha das Trevas.

O facebook oficial do evento publicou uma nota que confirma a participação de cinco convidados internacionais.

E você, acha que esse será o ponto de encontro entre a Elvira e seus fãs? Continue acompanhando o blog para saber mais informações sobre o evento.

 

 

 

Rainha das Trevas no Brasil

Anúncios
Nota

 1 ROUND-Personagem 

 Cassandra Peterson interpretou Elvira e Carolyn Jones interpretou Motícia Addams

 2 ROUND-Localização

Ambas são estadunidenses, sendo Cassandra do Kansas e a Carolyn da Califórnia

3 ROUND-As divas do terror

4 ROUND-Trabalhos na televisão

Cassandra participou de mais de 50 trabalhos na televisão, já Carolyn, por volta de 24 trabalhos na televisão da época.

5 ROUND-Como estão hoje? (Carolyn está morta)

Guerra Tenebrosa – Cassandra Peterson vs. Carolyn Jones

Nota

Na verdade, a matéria seria sobre o preto e branco da época de Mae West, mas ao pesquisar melhor o figurino dela resolvi mudar o rumo do blog.

Mary Jane West nasceu em 1893, em Bushwick, no estado de Nova York, filha do boxeador Jack West e de mãe francesa. Começou aos 5 anos a trabalhar no teatro. Estudou bailado, atuou em espetáculos de variedades e em 1918 lançou o tipo de dança “shimmy”, que alcançou grande popularidade nos anos 1920. Escreveu novelas como “The Constant Sinner” e numerosas comédias, como “Diamond Lil”, caracterizadas pelo tom frívolo e picante. Algumas delas foram interpretadas pela própria Mae no teatro e no cinema.

Desde o começo da carreira, no “Caf’Conc”, em 1917, ela já chamava atenção com sua voz quebrada, a silhueta de formas pronunciadas e a atitude provocante. Converteu-se em pouco tempo no que se chama uma “estrela”.

 Sua consagração teatral veio em 1926, com a peça “Sex”, de sua autoria. Tanto o texto quanto a forma de atuar de Mae West eram de tal forma insólitos para a época, que os jornais se negaram a dar publicidade à obra. Mas o espetáculo resistiu a 375 apresentações com a casa lotada, até que a Sociedade para a Supressão do Vício conseguiu retirar a peça de cartaz. A autora foi condenada a 8 dias de prisão, por “corromper a juventude”.

Mae West sofreu o mesmo ”preconceito de revolução” da boneca dos desenhos Betty Boop

Sua foto polemica nos quartéis, os adolescentes a escondem em seus livros, os choferes a exibem em seus caminhões. Seu nome lembra o pecado tal como ele era concebido pela puritana América da época.

Em 1955, a atriz publicou a coletânea de suas canções: “The Fabulous Mae West”. Em 1966, dois álbuns de rock.

Os anos 1950 e a modificação da imagem da mulher viram Mae West afastar-se do cinema. Porém não do show business. Organizou então uma turnê por night-clubs, onde cantava seus êxitos de antes da guerra, cercada por jovens embevecidos muito mais por suas expressões corporais que por seu talento.

O busto avantajado levou-a inclusive a “participar do esforço de guerra”: a RAF (aviação britânica) deu seu nome aos coletes salva-vidas.

No ano de 1932 chegou a Hollywood com um contrato da Paramount de 5000 dólares por semana. Trabalhou sucessivamente em “Night After Night”, “She Done Him Wrong” (que bateu todos os recordes de bilheteria) e em “I’m No Angel”, todos filmes sem mensagens substanciais e de cujos roteiros participou, que destacavam seu “toque” sexy.

Mae  West tinha muitas frases marcantes

Mae West morreu no dia 22 de Novembro de 1980 aos 87 anos, após sofrer uma série de acidentes vasculares cerebrais. Encontra-se sepultada em Cypress Hills Cemetery, Brooklyn, Kings County, Nova Iorque nos Estados Unidos.

O Figurino de Mae West