Capricha Mais

É engraçado quando estamos entrando na adolescência, pois parece que o mundo está a nosso favor, somos imortais e todos desejam ser como a gente, mas quando passa um ou dois anos, percebemos que nada disso é verdade e que a tendência é só piorar.

As coisas acontecem tão rápido, se modificam com tanta agilidade que eu, com 16 anos, falo algo que fiz quando tinha 10 e já parece coisa de outro mundo, porque as nossas meninas estão crescendo rápido demais. Antes eu ia até a banca de jornal e comprava as minhas revistas, uma pilha delas e quase fui a falência com aquilo e até hoje meus olhos brilham ao ver uma revista ou livros nas prateleiras das lojas, mas hoje a internet (e aquelas mesmas revistas que eu comprava, mas que agora estão disponíveis para compras online) enche a cabeça das garotinhas inocentes com ideias bobas e pensamentos fúteis, do tipo ”a nova estrela está namorando o divo super astro dos cinemas”.

Muitas das minhas paixões vieram das revistas que eu lia quando era mais nova, como meu amor por moda, esmaltes, música (mas não necessariamente meu gosto musical), estilos e metas de vida, mas hoje são só folhetos com fotos de mulheres que nunca vamos ser e que dizem ter dicas úteis para alguma coisa, assim como esses blogs e sites que acham que rímel e batom vermelho resolvem até divórcio.

Leiam mais, leiam revistas, leiam livros, leiam meu blog, leiam até mesmo aqueles folhetos que te entregam na rua, mas não se deixe levar por coisas tão pequenas que digitam por ai, em edições online ou em E-book, uma vez que nada é mais saboroso do que segurar uma pilha de papeis em suas mãos e ler cada uma daquelas palavras escritas com tanto carinho e dedicação quanto esse texto que escrevi para vocês, então vamos salvar as nossas meninas.

 

 

Terror Para Crianças

Oi pessoas, tudo bem?

Não há mal nenhum em crianças gostarem ou simplesmente assistirem filmes de terror, pois quanto mais cedo ela souber que existe o mal no mundo, menos ela vai sofrer, mas brincadeiras a parte, se você tem 8, 18 ou 28 anos, você tem ou já teve medo de filmes como Coraline.

Admita (Brasil)

Oi pessoas, tudo bem?

No dia 25 de janeiro publiquei um post com músicas internacionais que, com certeza, já ficaram na sua cabeça e você cantou involuntariamente na frente enquanto estava perto de alguém e, como gostaram do post, fiz a versão nacional dele, com músicas chicletes dos anos 2000 (sim, aquelas  sem letra ou melodia, mas que, na época você era fã), que saber quais são? Continue vendo.

 

DIY – Experiência do Som

Oi pessoas, tudo bem?

Para uma pessoa tão fascinada pela música como eu, qualquer som é essencial para que uma melodia esteja perfeita, então, pensando nisso, o DIY de hoje vai ser um pouco diferente, eu tenho certeza que você vai prestar mais atenção nos sons que estão a sua volta e no fim ainda tem um bom exercício para os seus ouvidos e imaginação.

Vamos fazer essa experiência em duas partes, uma com o uso de objetos e outra com o uso de uma música da sua escolha. O importante é que tudo seja feito em um lugar silencioso, sem ruído algum e espaçoso.

 

PARTE 1

Você vai precisar de

  • Uma superfície plana (mesa ou chão)
  • Três objetos que, ao entrarem em contato com a superfície, emitam sons diferentes, como o grave e agudo

Como fazer:

  • Em silêncio, bata levemente um objeto de cada vez sobre a mesa, o ideal é que seja um copo de plástico, canetas, bolinhas…
  • Perceba cada som e imagine uma música ou pense em alguma na qual aqueles sons se encaixem
  • Tente reproduzir ou criar uma música somente com a batida daqueles instrumentos, palmas e estalos de dedos também valem e assim você terá quase um Cup Song.

 

PARTE 2

Você deve

  1. Escolher uma música que deve ser ouvida com fones de ouvido, pois isso faz a música entrar diretamente na sua cabeça e você prestará mais atenção
  2. Escolha um dos instrumentos tocados na música para analisar e ignore um pouco o vocal. O baixo e a bateria são os mais legais para isso
  3. Deite-se no chão (é mais divertido e você terá mais espaço para ficar a vontade) e feche os olhos
  4. Ouça cada compasso da música e foque no instrumento que escolher

Você nunca mais ouvirá aquela música sem prestar atenção novamente…

 

O PODER DO PENSAMENTO

Eu particularmente nunca comi no Pizza Hut, mas um comercial deles me chamou muito a atenção, então coloque os fones de ouvido, feche os olhos e abuse o poder da sua imaginação.

Entrevista The Surface

Oi pessoas, tudo bem?

Entrevistei o Vinícius, da banda The Surface que é a representante do blog em 2015, quer saber mais sobre a banda? Continue lendo.

 

Agatacett´s Blog: Em resumo, de onde veio a ideia de ter uma banda?

Vinícius Ribeiro: Na adolescência eu era atleta, disputava atletismo e futsal. Aos 16 anos me lesionei no joelho e acabei ficando incapacitado de continuar disputando em alto nível e acabei achando na música o conforto necessário para superar esse problema.
Comecei tocando Punk Rock e Hardcore com a banda 288fq, foi nessa época que conheci o palco, o público e a adrenalina de tocar as suas próprias composições e percebi que gostaria de continuar fazendo isso na vida toda. Fui passando por diversas bandas e atualmente estamos felizes com o The Surface e com a musicalidade que estamos atingindo.

ACB: Você acha que esse é um sonho clichê adolescente, assim como o ter o primeiro carro ou coisas assim?
Vinícius: Não é um clichê, apenas fazemos o que gostamos de fazer! Algumas pessoas se divertem com esportes, outras com carros, no nosso caso a música nos move e nos motiva à sempre melhorar e sempre criar novas músicas.
Nós da banda The Surface não somos diferentes das outras pessoas, estamos sempre em busca de transformar o nosso trabalho em algo prazeroso e se for possível viver da Nossa música realmente seria um sonho realizado! O ser humano precisa de metas e objetivos sim para evoluir, mas acredito que o sonho é o alimento da alma.
ACB: Você toca algum instrumento em especial? Como aprendeu?
Vinícius: Sou baixista, sempre gostei da sonoridade dos graves. É um instrumento muito importante em qualquer estilo de música e a gama de técnicas do contrabaixo é muito grande! Como quase todo bom roqueiro sou autodidata, mas conforme o tempo foi passando tomei aulas do instrumento
ACB: Qual o princípio para seguir a carreira musical?
Vinícius: Ter prazer em fazer música e tocar para si mesmo, se você estiver se agradando a chance de agradar o seu ouvinte é muito maior. O importante é ter certeza do que você espera da música e não se frustrar se o retorno monetário não for imediato, nesse seguimento o dinheiro é consequência do seu trabalho.
 ACB: De onde veio o nome The Surface?
Vinícius: The Surface traduzido para o português significa ´a superfície`. O nome representa  a idéia de que, por mais que algo ou alguém decole, vai sempre existir `a superfície`, ou seja, independente do trabalho realizado e dos objetivos alcançados, jamais se perdem as raízes e influências.
 ACB: Você se lembra qual foi a primeira banda que ouviu?
Vinícius: No meu caso, comecei a gostar do formato “banda” com os Mamonas Assassinas em 1994, tinha 9 anos na época e achei muito legal e divertido essa brincadeira! Fui atrás das influências deles e cheguei aos Raimundos, depois aos Ramones e por consequência disso tido comecei tocando Punk Rock e Hardcore, com a evolução da musicalidade fui mudando o estilo, mas nunca deixei de gostar do bom e velho Punk HC!
ACB: Tem algum recado para os leitores do Agatacett’s Blog?
Vinícius: Nunca desista do que te deixa feliz! Se te faz bem continue, se faz mal retire da sua vida imediatamente! A vida é muito frágil para se perder tempo fazendo coisas que não te trazem felicidade!

Calendário Pin-Up

Oi pessoas, tudo bem?

A cada mês uma mulher diferente para você, com aquela inocência de menina, mas com corpo de mulher, o que acharia disso? Antigamente os calendários com imagens das lindas pin-ups eram bem normais, hoje, quase raridades, esses folhetos que marcam os dias do mês, os meses do ano com foto de mulheres bonitas custariam um pouco mais, mas, como nessa internet tudo se encontra, você pode conferir um pouquinho aqui no blog, que tal?