Nota

Naquela noite havia uma festa acontecendo e eu estava com fome, com sede, precisava acabar logo com aquilo e logo pensei em uma solução. Eu estava muito bem vestida e ela também, rindo e conversando a puxei para o canto e logo começamos a brincadeira.

Devorei sua carne com vontade enquanto pressionava minha mão esquerda fortemente sobre os seus lábios para abafar aqueles gritos chatos – aquela era a pior parte da caçada – e quando arranquei-lhe com as presas o coração, os gritos pararam e eu pude calmamente degustar minha refeição da noite.

Uma carne macia doce e suculenta que me fazia sorrir a  cada pedacinho mastigado e engolido, uma das melhores refeições que eu já tive em toda a minha vida, mas será que é considerado um pecado dizer que eu devorei a minha melhor amiga? Bom, isso podemos resolver depois, agora eu tenho que terminar o meu jantar, com sua licença, próximo da lista…

 


Contos Para Dormir IX – Carne, Doce Carne

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s