Nota

A. 14 anos – Automutilação

Quantos anos você tinha quando começou e quem te ”ensinou”?
A: Eu tinha 13 anos, foi só a um ano, ou melhor, quase dois anos atrás. Foi uma garota que me ensinou, ela estava depressiva e ela fez uns cortes grandes no pulso dela e ela me disse que eu só poderia fazer isso e algo muito ruim acorresse comigo, o que ocorre todos os dias, só que quando me corto, não fica aquele corte grande e sim cortes pequenos.

É verdade que os cortes, quando por motivos emocionais, não doem?
A: Só as vezes, tem gente como eu que, quando se corta por motivos emocionais, doi, mas as vezes não.

O que te levou a começar? Como esconde as marcas?
A: Briga com familiares. Camisas de manga comprida, mas é melhor nas pernas que se esconde facilmente.

Vicia?
A: Para algumas pessoas sim, pra mim não.

Ainda faz isso?
A: Fiz no dia 24/06/2014

Porque?
A: Por causa de brigas
B. 17 anos – Bulimia

”Meu primeiro contato com a bulimia foi através da televisão, a alguns anos atrás a malhação mostrou a história de uma garota que queria ter um corpo perfeito, e que começou a recorrer a exercícios exaustivos e a vômitos, achei aquilo estranho, mais fiquei com aquilo na cabeça..
Sempre fui magra quando criança, com meus 12 anos eu menstruei e comecei a desenvolver o corpo, o q foi um sofrimento, eu não era obesa, só não tinha crescido o suficiente por ser muito nova…
Começaram a implicar comigo, principalmente o meu pai, era uma perseguição, apelidos como bola e baleinha eram frequentes na minha casa, eu odiava aquilo, me sentia menosprezada pelo meu próprio pai, detalhe ele me assediou no ano passado..
Com 12 anos e ouvindo isso do meu próprio pai eu me sentia horrível, mesmo sendo filha de uma índia muito bonita..
a família do meu pai também começaram a falar coisas do tipo, uma irmã dele mandava eu fechar a boca, os meus primos me chamavam de baleia e gorda..
foi ai que tive a mesma ideia da garota da tv, comecei a praticar vômitos depois das refeições, isso durava em media de uma semana, depois eu deixava de lado..
mais com tempo a ideia de emagrecer e a infelicidade por não ser o que eu queria se tornaram ideias fixas..
com 14 anos no ano de 2012 eu fui morar com o meu pai, ele trabalhava muito, ficava fora de casa o dia todo e nao poderia policiar as minhas refeições, por esse motivo comecei a vomitar o que eu comia, e a ficar horas sem comer e a ir pra escola a pé, coisa de umas meia hora..
nesse mesmo ano eu cresci, fiquei alta, e o peso se adequou a minha altura, fiquei magra, perdi ao todo 16kg e passei a pesar 50kg, você não faz ideia da minha excitaçao ao subir na balança e me ver mais magra, o espelho sempre mentia pra mim, eu sempre achava que podia emagrecer algo a mais..
mais nem tudo são flores, eu adoeci, desidratei, fiquei no hospital tomando soro, parei de menstruar, tive problemas respiratórios, meus cabelos começaram a cair, minhas unhas a quebrar, me nasceram manchas, olhos ficaram fundos e eu fui perdendo o bronze, a cor bonita e negra q eu sempre tive..
sem contar o mau-humor, o costante falar em morrer, a vontade de não fazer nada além de dormir, a preguiça, a raiva..
Contei aos meus pais mais não resultou em nada, eles tentaram me ajudar, minha mãe ficou sem chão, só chorava e tinha medo de me perder..
Fazia tratamento psicológico e parava, decidi parar de vez, e hoje em dia a minha é como a minha sombra, me segue constantemente.”
C. 14 anos – Automutilação e Anorexia

”Eu comecei com a automutilação a uns 3 anos atrás, no começo eram apenas socos e enforcamentos por alguns segundos, depois eu comecei a me cortar, isso tudo foi por causa do preconceito que eu sofria/sofro (homofobia) não é fácil, tipo, as pessoas nunca entendem que você não escolhe a sua opção sexual… Os meses foram passando e os cortes só aumentavam, os anos foram passando e meus braços e meus pulsos estavam todos marcados, minha família nunca tinha percebido nada, por que eu vivia de blusa de frio e tal… Conforme o tempo, eu fui envelhecendo e comecei a ficar com problemas de anorexia, não sentia mais fome, só vivia enfiado dentro do meu quarto… Até que meus amigos começaram a perceber e descobriram, eles me deram o maior apoio do mundo, se não fosse meus amigos eu estaria no fundo do poço ainda… Conforme o tempo foi passando e eles me ajudando eu fui parando aos poucos, cada mês eu largava mais a automutilação… Até que no dia 29/05/2014 foi o ultimo dia que eu pratiquei a automutilação, não recebi apenas a ajuda dos meus amigos, recebi a ajuda de uma pessoa maravilhosa chamada Demi Agora aqui estou eu! De pé! Não estou 100% bem, mas estou MUITO melhor!”
D. 27 anos – Anorexia e Bulimia

”Meu nome é D., tenho 27 anos e sou ana a pouco menos de 1 ano. Sempre fui gorda desde criança, na adolescência descobri a bulimia logo depois que fui mãe aos 14 anos de idade, mais depois de um tratamento eu tinha conseguido superar meu trauma com o peso, casei aos 19 e tenho atualmente 4 filhos, sendo 2 especiais, quando meu caçula Lucas nasceu veio junto com ele o medo de perde-lo,pois foiuuma fase terrível, ficamos 6 meses em uma uti neonatal, com tudo o que passamos eu ganhei também muitos quilos, cheguei a pesar 127quilos. Foi quando a ana apareceu em minha vida, ela surgiu assim do nada. Hoje peso 79quilos e me vejo com 200 quilos, meu marido nunca reclamou mas é contra meus nfs. Já sinto os efeitos dela na minha vida, unhas, cabelos, pele, humor, dores pelo corpo, mais se me perguntarem se penso em deixar a ana, minha resposta é não. Sei aonde posso chegar com ela,mas não conseguiria mais viver como uma pessoa normal.”

 


Tudo Que Eu Posso Ser – Relatos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s