Nota

O Agatacett´s Blog entrevistou Rod Havokk, baterista da Dissonant nightmare e da Serpens Albus (whitesnake cover)

Para  ver música da banda,acesse: https://agatacett.wordpress.com/2013/09/02/o-som-da-perfeicao/

Como e quem começou a banda?

A Dissonant Nightmare começou como um projeto do nosso baixista Vikki Svart. Depois de várias tentativas dele com diversas formações, em 2011 ele convidou Lizzie Maverick para os vocais, que por coincidência era minha amiga de escola e me convidou pra entrar na banda.

É mais fácil tocar uma música própria ou um cover?

Na verdade nenhum dos dois é fácil. Pra você tocar em uma banda cover, o grande desafio é tirar a musica do jeito mais idêntico possível, o que não é nem um pouco simples. Já o lance de compor suas próprias linhas instrumentais em uma banda de som próprio está mais ligado á coerência. Ambos são difíceis.

Qual foi o acontecimento na banda que você mais gostou?

Muitas coisas legais aconteceram ao longo desses dois anos. Mas o que mais mexe com a gente é ver pessoas de diferentes partes do mundo apoiando a gente ao curtir nossa página, ver nossos videos, baixar nossas músicas. Realmente é uma sensação muito boa.

Como a banda começou a ser divulgada? Foi fácil ser reconhecido ou ainda lutam por isso?

Boa parte do que tivemos de divulgação se deve as pessoas que nos apoiam, em especial as nossas meninas do Streat Team, Gabi, Suh e Iza. Quando lançamos as nossas duas músicas no começo do ano passado elas tiveram um papel fundamental de divulgação, o que nos trouxe uma visibilidade legal dentro da cena. Porém ainda estamos lutando pelo nosso reconhecimento, tarda, mas não falha. Ficamos um ano parados, sem dar notícias, mas voltaremos com força total quando menos esperarem.

O que vocês mais gostam de tocar?

Temos influências diversas, portanto nosso som é bem variado, tanto que no nosso setlist tocamos covers que vão de System of a Down, passando por Def Leppard até Backstreet Boys e Michael Jackson.

Recado da banda:

Por favor, parem de rotular a Dissonant Nightamare como Hard Rock, nosso som não tem cara de Poison ou Cinderella, por mais que sejam influências! (risos). E pra quem estiver lendo isso, peço que abra a cabeça em relação a bandas de som próprio independentes. Parece que quando falamos “banda independente” já rola um preconceito, mas toda a banda grande já passou por essa fase um dia, a diferença é que eles tiveram apoio. Portanto apoie o som próprio sempre!

 

Entrevista

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s